A produção e venda de energia renovável no Brasil está em alta. É promissor perceber que as empresas enxergam nesse setor uma oportunidade de investimento que tem retorno real garantido. Pensando nesses investimentos, a British Business Energy, empresa que atua no Reino Unido, realizou uma pesquisa com 29 países referente a empresas de energia em todo o mundo. Na pesquisa da empresa inglesa, o Brasil aparece em segundo lugar no ranking de energia renovável com 6,5 de pontuação, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que lidera com pontuação 7. Depois, em terceiro lugar configura-se a Índia com pontuação 6,3.

A pesquisa levou em consideração para análise somente países que estão investindo em tempo integral, parcial ou que planejam usar energia renovável em um futuro próximo. Mas, por que a energia convencional deve perder cada vez mais espaço no Brasil quando falamos de conscientização e redução de custos? Um dado interessante da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é que nosso país já ultrapassou a marca de 1 gigawatt de potência instalada em geração distribuída. Esta potência é suficiente para atender o consumo de 2 milhões de brasileiros ou cerca de 500.000 residências. O que deixa o setor de energia cada vez mais caro no Brasil seria a logística de abastecimento. O sistema elétrico brasileiro é um dos mais complexos do mundo, onde as hidrelétricas e termelétricas são instaladas longe dos grandes centros urbanos e interligados em uma grande teia, chamado de Sistema Interligado Nacional. Sendo assim, a eletricidade percorre milhares de quilômetros até chegar aos centros de consumo para depois o consumidor ter acesso. Durante esse trajeto ocorrem perdas nas linhas de transmissão, além de custos de operação e manutenção, e quem paga por esse déficit acaba sendo o consumidor.

Sendo assim todo esse custo adicional faz com que muitas empresas invistam em energia renovável, como é o caso da energia fotovoltaica, conhecida popularmente em alguns casos como energia solar. Desta forma muitas companhias produzem sua própria energia por meio de painéis fotovoltaicos que exigem um grande investimento inicial, porém com um retorno muito mais vantajoso financeiro e sustentável. Confira as vantagens:

Economia eficiente

Redução de custos sem perder o essencial de serviço? O Brasil vem crescendo na produção e consumo de energia solar pois consegue diminuir as despesas com a conta de luz em até 95% com a instalação de sistemas fotovoltaicos em telhados e pequenos terrenos. A estimativa é um dado da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). É notório ainda dizer que o posicionamento dos painéis com seu ângulo em relação ao Sol e o local da instalação conseguem influenciar por inteiro em sua capacidade produtiva.

Custo-benefício

Quanto mais energia uma empresa se propuser a produzir, maior será a demanda por painéis fotovoltaicos e investimentos em equipamentos. Sendo assim o custo varia dependendo do projeto e para qual configuração será a instalação. Porém, por mais que o investimento possa ser alto no início, a redução de custos na conta de luz compensa a longo prazo. Normalmente um bom sistema de energia solar pode até deixar que o valor caia para uma taxa mínima (muitas vezes zero) e que não fará grandes diferenças no final do caixa.

Sustentabilidade necessária

A preservação do meio ambiente ao reduzir emissão de carbono é uma das vantagens ambientais mais importante do uso desse tipo de energia. Muitas empresas podem se isentar dessa responsabilidade de causar danos ambientais por anos. Essa consciência ambiental, além de causar efeitos positivos para o planeta, ainda melhora a qualidade de vida das pessoas. É extremamente possível aliar o consumo de energia a essa premissa sustentável. Além disso, muitos clientes e países hoje, optam por comprar somente de fornecedores sustentáveis, o que gera uma necessidade de adequar de forma efetiva a sua empresa a esse cenário evolutivo mundial.

Uma resposta

Os comentários estão desabilitados.